Surfaqui.comSurf – Santa Catarina – Fotos de Surf – Gatas – Praias de Itajaí/Balneário camboriú/Itapema/Floripa/Barra Velha/São Francisco do Sul
Publicidade
Surfaqui.com

Astros do Billabong Pro Santa Catarina tropeçam na estreia

Categorias: Competição - Fotos de Surf, Notícias - Fotos de Surf - 25 de abr de 2010

Neco Padaratz. FOTO: DANIEL SMORIGO (BILLABONG PRO SC)

Neco Padaratz. FOTO: DANIEL SMORIGO (BILLABONG PRO SC)

Kelly Slater, Mick Fanning e Taj Burrow caem para a repescagem em Imbituba

O australiano Joel Parkinson confirmou o favoritismo com a melhor apresentação do Billabong Pro Santa Catarina no primeiro dia da etapa brasileira do ASP World Tour em Imbituba. Mas, o defensor do título na Praia da Vila, Kelly Slater, o atual campeão mundial Mick Fanning e o líder do ranking 2010, Taj Burrow, tropeçaram na estreia e vão ter que encarar a repescagem. O paulista Adriano de Souza também, pois o catarinense Neco Padaratz foi o melhor na bateria 100% verde-amarela completada pelo potiguar Jadson André. Ele foi o único brasileiro a seguir direto para a terceira fase, com os outros seis indo para o tudo ou nada da repescagem.

“Foi muito emocionante”, vibrou Neco Padaratz. “Surfar aqui na Praia da Vila é sempre muito especial pra mim. É um lugar onde venho desde pequeno e aprendi muita coisa surfando aqui. É sempre gratificante e emocionante surfar nesta praia e em Saquarema. Cada bateria que você passa, é um presente que você leva pra casa, um aprendizado, mais um degrau que você sobe na escada. Seja surfando as esquerdas ou as direitas, o que eu quero é mostrar um bom surfe e sair feliz daqui da Praia da Vila”, deseja Neco.

O também catarinense Ricardo dos Santos, que venceu a Von Zipper Trials antes do início do Billabong Pro Santa Catarina, deixou Mick Fanning em último na bateria encerrada com vitória de Tom Whitaker. Já o campeão brasileiro Messias Félix superou o defensor do título em Imbituba e maior ídolo do esporte, Kelly Slater, na disputa vencida pelo português Tiago Pires.

“Eu queria muito ter vencido a bateria, mas ser melhor do que o Kelly Slater na bateria é um sonho também”, disse Messias Félix. “Só soube que ia enfrentar ele hoje de manhã, mas eu já estava ontem à noite torcendo pra competir com ele. Para mim é um sonho. Não sei se um dia vou entrar no WCT e também se ele vai estar lá, então essa oportunidade de participar desse evento e ainda de disputar uma bateria com o Kelly Slater já foi demais. Tomara que seja com ele também na repescagem e melhor ainda se eu vencer a bateria”, deseja o cearense.

Dos principais astros do Billabong Pro Santa Catarina, só mesmo Joel Parkinson confirmou o favoritismo com o maior show de surfe do primeiro dia na chuvosa sexta-feira em Imbituba. Ele até jogou fora uma nota 7,43 que poderia valer a vitória em várias baterias, mas somou um 8,27 com um 9,93 para atingir imbatíveis 18,20 pontos. Na última onda, acertou um aéreo gigante na finalização e três dos cinco juízes deram nota 10, mas os outros dois não e a média ficou em 9,93. O recordista absoluto do campeonato é um dos atletas da equipe Billabong.

“Comecei bem o campeonato e essa última onda foi muito boa”, disse Joel Parkinson. “Pena o 10 não ter saído. Eu dropei ela, dei duas rasgadas e vi aquela sessão perfeita para dar o aéreo e pra minha surpresa consegui voar muito alto, voltando com segurança. Com certeza, foi uma das minhas melhores ondas que surfei esse ano. Procurei pegar as direitas que pareciam estar melhores, apesar de ter visto o Bobby (Martinez) antes pegar boas esquerdas. Mas é isso, se a onda for boa e longa, seja pra direita ou pra esquerda, você consegue tirar um ótimo score”.

Apesar da boa formação das ondas e das maiores séries chegarem a 2 metros de altura, elas estavam demorando um pouco para entrar na Praia da Vila, com poucas ondas sendo surfadas na maioria das baterias. Foi assim nas dos outros três grandes favoritos ao título do Billabong Pro Santa Catarina, que já comemoraram vitórias em Imbituba. Burrow ganhou a segunda edição em 2004, Slater venceu a da estréia de Santa Catarina no ASP World Tour em 2003 e a do ano passado, igualando as duas conquistas de Fanning no bicampeonato de 2006 e 2007.

“Para mim foi estranho. Não consegui encontrar o ritmo da bateria e o Tom (Whitaker) surfou forte, praticamente pegando todas as ondas boas que entraram”, disse Mick Fanning. Ele ainda elogiou a participação do brasileiro Ricardo dos Santos, jovem atleta da equipe Billabong. “Eu já o vi surfando algumas vezes em Teahupoo (Taiti). Ele sempre está lá quando o evento de lá está rolando e gostei de ver sua atitude lá, surfa bem ele”.

Os outros dois integrantes da galeria de campeões da etapa brasileira em Santa Catarina são o norte-americano Damien Hobgood (2005) e o australiano Bede Durbidge (2008). O Brasil já chegou perto de um título inédito algumas vezes, como em 2009 quando Adriano de Souza só foi derrotado nos minutos finais de uma bateria emocionante contra Kelly Slater. A torcida era toda a favor do brasileiro, com a Praia da Vila lotada parecendo um estádio de futebol.

Billabong Pro Santa Catarina é uma realização Grupo RBS e da Quântica Eventos, com patrocínio da Skol. Apoio do Governo do Estado de Santa Catarina, através do Fundesporte, e da Prefeitura Municipal de Imbituba, Fecasurf, Associação de Surf de Imbituba e da Praia do Rosa. Parceiros de mídia a Revista Alma Surf, Rede Atlântida FM e SporTV. Mídias sociais bombando no http://twitter.com/BillabongProSC -http://www.facebook.com/BillabongProSC

REPESCAGEM – Acesse as baterias da repescagem no www.aspworldtour.com/santacatarina/

Mais informações:

João Carvalho – Assessoria de Imprensa do Billabong Pro Santa Catarina

(48) 9988-2986 – joao@aspsouthamerica.com.br

Lívia Machado – Assessoria de Comunicação do Grupo RBS

(51) 8411-8075 – livia.machado@gruporbs.com.br

Paula Carneiro – Assessoria de Imprensa da Billabong Brasil

(11) 9829-0430 – pcarneiro@billabong.com.br

BILLABONG PRO SANTA CATARINA – primeira fase classificatória:

1.a: 12.33=Jeremy Flores (FRA), 11.64=Adam Melling (AUS), 7.76=Fredrick Patacchia (HAV)

2.a: 13.00=Dane Reynolds (EUA), 9.17=Jay Thompson (AUS), 4.14=Roy Powers (HAV)

3.a: 14.50=Neco Padaratz, 13.24=Jadson André, 12.17=Adriano de Souza (BRA)

4.a: 12.17=Bede Durbidge (AUS), 11.83=Nate Yeomans (EUA), 6.73=Michel Bourez (TAH)

5.a: 13.87=Jordy Smith (AFR), 12.33=Travis Logie (AFR), 11.16=Daniel Ross (AUS)

6.a: 13.33=Bobby Martinez (EUA), 11.37=Andy Irons (HAV), 9.73=Marco Polo (BRA)

7.a: 18.20=Joel Parkinson (AUS), 12.93=Blake Thornton (AUS), 7.56=Luke Stedman (AUS)

8.a: 12.10=C. J. Hobgood (EUA), 10.67=Taj Burrow (AUS), 9.64=Tânio Barreto (BRA)

9.a: 14.40=Tom Whitaker (AUS), 11.16=Ricardo Santos (BRA), 10.80=Mick Fanning (AUS)

10: 12.67=Tiago Pires (PRT), 11.83=Messias Félix (BRA), 10.17=Kelly Slater (EUA)

11: 12.17=Tanner Gudauskas (EUA), 11.43=Dean Morrison (AUS), 10.84=Kai Otton (AUS)

12: 15.23=Matt Wilkinson (AUS), 12.53=Adrian Buchan (AUS), 9.84=Kekoa Bacalso (HAV)

13: 12.63=Damien Hobgood (EUA), 12.33=Mick Campbell (AUS), 8.27=Luke Munro (AUS)

14: Kieren Perrow (AUS), Patrick Gudauskas (EUA), Ben Dunn (AUS)

15: Chris Davidson (AUS), Owen Wright (AUS), Brett Simpson (EUA)

16: Taylor Knox (EUA), Drew Courtney (AUS), Dusty Payne (HAV)

Tags: , , , , ,

Nenhum comentário!

Deixe o seu comentário